Programação
Pontes sem palavras
Como ser um agente de união

Com Helena Kobayashi
15 de fevereiro de 2017, quarta-feira, das 19h30 às 21h30

Em algumas sociedades se coloca especial ênfase na união entre as pessoas de um grupo, já que a ação conjunta permite a realização bem-sucedida de projetos. Essa percepção gerou uma prática valiosa e de grande impacto no nosso cotidiano.

Trata-se de uma ação (verbal ou não-verbal) bem colocada na direção daquilo que um grupo tem como ideal para a harmonia e bem-estar de todos.

Sua característica é a presença atenta e quase silenciosa do condutor da ação. Este agente compreende a necessidade do grupo ou do seu interlocutor e, sem explicitar sua intenção, age para harmonizar as situações difíceis, de tal maneira que sua ação, embora eficiente, pode até mesmo passar despercebida.

Trata-se de discretamente contribuir para o bem de todos.

Nesse encontro, vamos vivenciar e nos conscientizar dessa prática através de exemplos em vídeos, filmes e programas japoneses, vislumbrando a sua aplicabilidade e benefícios.