Programação
O Cultivo Interior no Taoísmo

Com Monica Simas
16 e 23 de maio de 2019, quintas-feiras, das 19h30 às 21h30


Dentre as várias tradições que se dirigem a uma Fonte Original pela quietude, talvez a taoísta seja a menos conhecida entre nós. Nesta tradição, o místico cultivo interior está assentado em variadas formas de treinamento, mas, sobretudo, numa profunda sinceridade na vontade da união com a fonte original. Quais são esses vários treinamentos? Qual o papel da meditação nessa união? Quais as relações entre o cultivo interior, a cosmologia e o pensamento político para esta tradição? Em dois encontros:

• mostraremos algumas descobertas arqueológicas importantes que aprofundam e modificam a história do taoísmo;

• faremos conexões entre textos clássicos e ensinamentos de taoístas dos séc. XX e XXI, como os de Ma Ho Yang, último patriarca da Escola Oeste de Alquimia.

Ao final de cada encontro será proposta uma experiência meditativa, baseada em 3 princípios – relaxar, ouvir e mergulhar. Esta experiência será aberta a todos que participarem do nosso encontro; tem caráter universal, podendo ser realizada em acordo com a crença de cada um ou sem crença nenhuma.



 

 

 

 




DOCENTE

Monica Simas, nasceu no Rio de Janeiro. Aos 14 anos começou a praticar tai ji quan com Wu Jyh Cherng, que depois viria a fundar a Sociedade Taoísta do Brasil. De meados dos anos 80 a meados dos anos 90, estudou acupuntura, textos clássicos do taoísmo como o Dao De Jing (Tao Te Ching); textos de cosmologia e de teologia; ritos; alquimia, e Yi Jing (I Ching). Em 1998, foi ordenada sacerdotisa, mas entrou em licença da função em 2000. Deu aulas de teologia na Sociedade Taoísta do Brasil (RJ), além de prestar assistência através do Yi Jing (I Ching) e participar de rituais. Foi diretora de Ensino nesta mesma instituição por um breve período. Também foi aluna de Liu Pai Lin, de Jersusha Chang e de Maria Lúcia Lee. Morou em Portugal, na Itália e em Macau. Em Macau praticou tai ji quan, tui sao, e ba duan jun com Mak Chi Kin, diretor da Associação de Tui Sao (tai chi dois a dois). Tem ministrado cursos de práticas corporais, cultura e filosofia chinesas na Palas Athena desde 2006. É professora de Literatura Portuguesa na USP e nesta instituição coordena o LIA (Laboratório de Interlocuções com a Ásia) em parceria com o DLO (Departamento de Letras Orientais), direcionando suas pesquisas para a cultura e a literatura de Macau.